Fotografia de rua sobre o Yoga contemporâneo

Nesta página, que pertence ao Projeto (S)enso Yoga LA, a ideia é expor fotos de rua que retratam o ambiente urbano ao qual o ioga moderno vive e sobrevive. Assim, tenho como proposta expor o iogue contemporâneo, mas sobretudo a "rua" que é o contexto psicológico e social que sustenta e mantêm o ioga atual.

Exposto de outra maneira, a agitação do dia, carros, a concretude das grandes metrópoles, o vai-e-vem dos mats embaixo dos braços aos espaços de ioga, o nascimento das ciclovias, os restaurantes veganos e o estresse urbano é o habitat do ioga que conhecemos fora dos livros de história que o retratam em uma Índia descrita com iogues em cavernas e ashrans isolados do convívio leigo.

Podemos, pelas lentes da fotografia de rua, retratar um ioga longe das posturas montadas para as capas de revistas populares e comerciais de marcas famosas. No Brasil e América Latina em geral, mosteiros, ashrams e cavernas não retratam a cultura no qual os iogues respiram. Me refiro aos iogues que perambulam pelas ruas das grandes cidades. Se eles merecem ou não o "título" de iogue ou praticante é assunto para os meus CURSOS & PALESTRAS, o que é verdadeiro, é que são estes primeiros que sustentam os cursos de formação de ioga, as viagens anuais à Índia e os diversos produtos para o público zen que movimenta milhões de dólares/ano. Estes são os iogues modernos e reais. Estes, são você e eu.

Esta exposição, em permanente construção e adaptação, reflete a realidade do ioga contemporâneo longe do romantismo de uma Índia distante, importante como referência e idealização, mas que nem de perto reflete a doutrina e proposta biopsicossociocultural do ioga que vivemos contemporaneamente.

Conto com vocês para ampliar nossa exposição. Envie uma foto de rua dos arredores do espaço aonde pratica ou estuda e revele o habitus e a práxis corporal dos iogues brasileiros que conhece, convive ou apenas observa. O iogue brasileiro é hindu, esotérico, cristão, umbandista, daimista, um mix disso tudo? Quais as influências que norteiam o "jeito" do iogue latino-americano? Serão diferentes dos iogues indianos, europeus ou norte-americanos?

Convido-os a se afastarem por um momento do seu mat, da sua versão dos Yoga-Sutras ou do Vedanta e se aventurar a pensar sobre quem influencia a você viver o ioga como sentido (ou não) de vida.

 

Participação no Curso de Formação de Yoga Rstaurativa de Miila Derzett em Lagoa Santa/MG.

 

Resgistro de um dos nossos diálogos sobre Yoga Contemporâneo.

Participação no Curso de Formação de Yoga Rstaurativa de Miila Derzett em Lagoa Santa/MG.

 

Resgistro de um dos nossos diálogos sobre Yoga Contemporâneo.

Nosso curso de aprofundamento em Yoga Contemporâneo em Penápolis/SP.

 

Este é um dos nossos cursos que apresentamos os meus dados da minha dissertação e tese d doutorado no qual entrevistei os principais iogues brasileiros entre os anos de 2012-2014. 

 

Turma ótima e diálogos enriquecedores para ambos os lados: professor e alunos. Que venham mais.

Palestra sobre o tema Yoga Contemporâneo (YC) no curso de formação do Prof. Glauco Tavares em Núcleo Shivalaya/SP.

 

Foram mais de duas horas hablado sobre o tema do meu mestrado e doutorado. É bastante interessante quando abordo o YC fora dos muros acadêmicos, pois as expressões são diferentes e muitos tópicos que são corriqueiros ao público científico -  como Nova Era, Secularização e definições de Religião - são absolutamente distantes do conhecimento leigo.

 

Por mais que colegas meus me interpelem que estas minhas palestras e cursos possam agora - e talvez nem em futuro próximo - estarem "acessíveis" para a população crente à religiosidade ioguica brasileira; sinto-me bem em estar aberto a discorrer sobre o tema e contribuir um pouco que seja sobre um tema ainda tão recente e controverso no país: o ioga como uma nova religião em processo no Brasil e a estrutura invísivel que os fazem - os praticantes e crentes - pensarem e agirem desse ou de outro modo. De modo geral, os envolvidos no ioga brasileiros também carecem de senso crítico, mesmo a sua filosofia religiosa pregar com todas as letras que a ignorância (avidya) seja a "mãe" de todo o mal no mundo.

 

Na academia temos os congressos e simpósios para debater teses sobre o ioga brasileiro, mas para o microuniverso ioguico do país quais os meios de debate? Ainda nenhum. As revistas especializadas em ioga no país são deveras proselitistas. Gosto de pensar que contribuo de alguma forma para devolver o que o ioga, a ciência e a filosofia me proporcionaram: conhecimento, mesmo sabendo que ele - o saber - será sempre uma interpretação e nunca a vedade.

 

 

Palestra sobre o tema Yoga Contemporâneo (YC) com a interessada turma do Prof. Vinícius Baleia em seu espaço na Vila Mariana Sampa Yoga/SP.

 

Interessante e recompensador a mim como professor e acadêmico conseguir dialogar com o próprio microuniverso que compõem o yoga brasileiro. Esse encontros tem me permitido debater sobre sobre as tipologias ideias como iogues híbridos e tradicionalistas, mas sobretudo perceber que talvez os iogues contemporaneos quando tomam conhecimento desse panorama, busquem encontrar um caminho pacífico de convivência e não de extremismos, como "isso é yoga, isso não é".

 

O ioga contemporâneo, sem dúvidas, sofre trasformações, ressignificações, mas nem sempre isso acarreta "prejuízo" ao sistema de crenças, mas adaptações que faz o ioga, como religiosidade, manter-se vivo e, por que não, atual. Afinal, é isso o que muitas religiões buscam: expandir-se para serem atraentes ao maior número de pessoas para que estas se beneficiem de suas práticas, filosofia e soteriologia.