top of page
Meu projeto-4.png

Yogins que Resistem

Atualizado: 21 de jun. de 2022




Aqueles que ficam e lutam!


Todo yoga carrega consigo um jeito de lidar com o sofrimento humano. Cada ser humano está inserido numa coletividade. Por isso, cada yoga é singular e comunal.


YogiNIs contemporâneos encontraram o mal-estar capitalístico e inventaram formas diferentes de lidar com ele. Alguns associando-se a eles, outros como se não existisse (ou fosse “passar”), alguns poucos ficam, resistem e lutam.


Foi um yogi budista do Vietnã 🇻🇳 - Thich-Nhat-Hanh - que, atravessado pelo sofrimento da guerra que explodia fora dos muros do seu templo entre os anos 60-70, q melhor lidou com o mal-estar do capital, e inventou o Mindfulness. Um modelo de cura ao ódio capitalista.


Não por coincidência, esse jeito “comunista” de yogar|meditar foi capturado pelo capitalismo, e hj é comercializado para “aumento de performance” e “gestão do estresse” contra os infortúnios da aceleração cotidiana q eles mesmos veneram.


Os yogas e yogiNIs capitalísticos surgem desse mercado espiritual: competitivo e individualista. São yogiNIs, empresários de si-mesmos e gestores do sofrimento psíquico, além de potencializadores performáticos. Estes se desviaram da ética yoguica desalienante (fim da ignorância) e ajudam com seu oposto nos coletivos em q habitam.


São contraditórios, mas se “esquecem” disso, por ignorância, cinismo ou sadismo.


Foi uma dupla transformação: yoga-mercadoria extrai cansaço corpóreo, com isso aumenta a demanda por seus próprios serviços espirituais de relaxação e, descansados, esses pequenos capitalistas (adeptos do yoga) conseguem agora, produzir e consumir mais “espiritualmente”.


O {{estresse}} se transforma no novo klesa|obstáculo, o {{relaxamento}} seus samadhis, e moksa|nirvana se cristaliza numa espécie de busca pela {{homeostase divina}}, fecham a ética dos adeptos da CONFRARIA YOGUICA DO CAPITAL.


Mas enqto os yogas capitalísticos “analisam o nicho espiritual” de suas neuroses, e os yogas conservadores mantram ao retorno de seus passados imaginários e paranóicos, os nômades resistem e lutam inspirados por monges vermelhos do Vietnã 🇻🇳 e outres que insistem em viver suas alteridades, apesar de…

.

Atualizem vossos títulos, é esse ano.

.

.

.

Kommentare

Mit 0 von 5 Sternen bewertet.
Noch keine Ratings

Rating hinzufügen
bottom of page